Perfil do e-commerce brasileiro 2016

A BigData Corp em parceria com a PayPal Brasil divulgou o resultado da pesquisa “Perfil do e-commerce brasileiro 2016”. A pesquisa traça um panorama sobre a atual situação do comércio eletrônico nacional e foi realizada com dados coletados em 10,5 milhões de sites.

Perfil do e-commerce brasileiro 2016

De acordo com a pesquisa o número de lojas cresceu 21,52% de fevereiro de 2015 a fevereiro de 2016. Atualmente as lojas online representam 3,54% do total dos sites brasileiros, no ano passado esse valor era de 2,65%.

 

A migração de loja física para loja virtual também teve crescimento. Em 2015, 14,53% das lojas online possuíam lojas físicas, hoje são 13,46%. O que demonstra uma tendência para a migração completa para o e-commerce.

 

O relatório mostra que o e-commerce ainda é uma boa opção de negócio mesmo com a atual crise financeira. Enquanto as vendas no varejo tradicional registraram queda de 4,3%, as vendas online cresceram cerca de 15% no mesmo período.

 

Com esse crescimento nas vendas as lojas se preocupam cada vez mais com a segurança das informações. A segurança na hora de realizar uma compra é uma das principais preocupações do consumidor. Investir nesse ponto demonstra a preocupação em atender melhor o cliente.

 

Em 2015, apenas 20,68% das lojas utilizam o protocolo de segurança SSL (Secure Socket Layer). Esse número subiu para 73,85%, demonstrando o amadurecimento do e-commerce brasileiro em relação a preocupação com a segurança do usuário.

 

Sobre a representatividade no e-commerce, as pequenas empresas dominam a maior fatia do mercado. Os pequenos e-commerces (com até 10 mil visitantes por mês) são 92,64% das lojas, os médios (entre 10 mil e 500 mil visitantes) são 6,61%, e os grandes (mais de 500 mil visitantes) representam apenas 0,76%.

 

Um dos dados mais preocupantes do relatório é em relação aos sites responsivos, ou seja, compatíveis com navegação nos dispositivos móveis. Apenas 16,12% das lojas são responsivas, e as lojas que não querem perder consumidores precisam mudar isso o mais rápido possível. O Google já penaliza lojas que não possuem layout responsivo e alguns setores, como a moda, já registram mais de 40% das suas vendas através de dispositivos moveis.

 

Sobre a distribuição demográfica, São Paulo detem a maior quantidade de e-commerces do País com 56,38% das lojas. O Rio de Janeiro ficou em segundo lugar com 7,19%.

 

Perfil do e-commerce brasileiro 2016

 

Você pode conferir o relatório completo nesse link.

You may also like...