Cerca de 40 milhões podem ficar sem segurança na internet em 1º de janeiro

Nas primeiras horas do ano novo, qualquer pessoa que tiver um celular com mais de 5 anos de uso ficará incapaz de acessar sites criptografados na internet, o que inclui o Facebook, Google e o Twitter. Isso irá ocorrer devido a uma atualização nos protocolos de segurança da web, que não é compatível com sistemas operacionais antigos e, consequentemente, não poderá ser validado por esses sistemas.

Cerca de 40 milhões podem ficar sem segurança na internet em 1º de janeiro

Isso pode não ser um problema para países desenvolvidos, onde os usuários acompanham a evolução da tecnologia, mas para alguns países emergentes quase 7% dos seus usuários podem ficar sem acesso aos sites mais populares na internet.

 

Ao acessar alguns sites como Facebook, Gmail ou o site do seu banco, a sigla HTTPS e um ícone de cadeado indicam que a página é criptografada e segura, é como se o site dissesse ao seu navegador que aquele site é verdadeiro e que a navegação é segura. Os sistemas mais antigos perderão a capacidade de validar se uma página é autentica e não terão a mesma segurança ao navegar na internet.

 

Os sites são criptografados por um algoritmo chamado de SHA-1, que é basicamente um código que existe no site que você está visitando e que é traduzido pelo seu navegador, provando que o site é verdadeiro ou não. O problema é que a versão atual do SHA-1 não é mais segura, e a partir de 1º de janeiro ele será substituído pelo SHA-2.

 

A mudança tem gerado opiniões divergentes entre as grandes organizações da internet. O Facebook, por exemplo, sugeriu que os dois certificados continuem ativos e que ele seja alterado conforme a versão do navegador de cada usuário. Navegadores antigos receberiam o certificado SHA-1, e novos navegadores receberiam o SHA-2. O chefe do escritório de segurança do Facebook disse:

 

Não achamos que seja correto cortar dezenas de milhões de usuários dos benefícios da internet criptografada (…) Muitos desses aparelhos antigos estão sendo usados por pessoas que vivem em países em desenvolvimento e são novas na internet. Deveríamos investir em segurança para essas pessoas, não tornar mais difícil o seu acesso.”

 

Os países mais afetados por essa mudança serão China (6,08%), Camarões (5,39%) e o país árabe Iémen (5,25%). O Brasil não aparece na lista, mas se você utiliza Windows XP, versões anteriores ao Android 2.2, Google Chrome abaixo do 38, Firefox abaixo do 36, você poderá ser afetado. Para conferir a lista completa com os países que serão afetados clique aqui.

 

Fonte: Buzzfeed News

You may also like...