Black Friday 2018: Crescimento deve ser de 15%

A Black Friday desse ano deve agradar em cheio os lojistas, isso porque o faturamento pode ser 15% maior do que em 2017, chegando a R$2,43 bilhões de reais. Os dados são de um levantamento realizado pela Ebit/Nielsen.

Black Friday 2018: Crescimento deve ser de 15%

Marcada para 23 de novembro, espera-se que a Black Friday desse ano receba cerca de 4 milhões de pedidos, uma alta de 6,4% em relação ao ano anterior. O ticket médio também deve ter alta, ficando em R$607,50, um crescimento de 8%.

O estudo da Ebit/Nielsen ainda aponta uma consolidação da data como uma das mais importantes do e-commerce nacional, cerca de 88,6% dos consumidores tem intenção de comprar na Black Friday, e apenas 35% dos consumidores ainda desconfiam dos descontos oferecidos na data.

A credibilidade continua sendo um fator fundamental para a Black Friday, cerca de 39% dos consumidores disseram que a confiança na marca é determinante na escolha de onde comprar. Além disso, um menor prazo de entrega também é fundamental para 26% dos compradores.

 

Quando vão comprar?

Apesar da Black Friday ser celebrada em apenas uma sexta-feira, é comum que muitos lojistas utilizem o período pré e pós data para expandir as ofertas. Esse comportamento já é conhecido dos consumidores, o que faz com que eles distribuam suas compras ao longo da semana em que o evento acontece.

A maior parte dos consumidores, 46%, pretende realizar suas compras na sexta-feira, outros 22% pretendem comprar após a data, entre os dias 24 e 30. Já 13% preferem aproveitar promoções pré Black Friday, entre os dias 16 e 22.

 

Natal

Mesmo com a proximidade com as festas de fim de ano, a Black Friday não deve representar uma ameaça as vendas de Natal. Apenas 26% e 20% dos consumidores pretendem aproveitar a data para adiantar as compras de natal e “comprar algo para a família” e “dar de presente”, respectivamente.

A grande maioria dos consumidores, 69%, pretende comprar algo para uso próprio.

 

Top 10: categorias mais desejadas

A pesquisa da Ebit também questionou quais as categorias mais desejadas pelos consumidores nesse ano. O Top 10 ficou assim:

  1. Eletrônicos
  2. Eletrodomésticos
  3. Smartphones
  4. Informática
  5. Moda e acessórios
  6. Cosméticos e perfumaria
  7. Casa e decoração
  8. Livros
  9. Brinquedos e games
  10. Esporte e lazer

 

Metodologia

Para realizar o estudo, a Ebit/Nielsen conduziu um questionário online que contou com a participação de 3013 consumidores entre os dias 25 de julho e 14 de agosto de 2018.

You may also like...