E-commerce: 5 problemas para enfrentar em 2016

5 problemas que pequenas empresas podem enfrentar no e-commerce em 2016

O e-commerce tem sido um grande amigo para empresas de pequeno porte. É fácil ingressar nesse segmento e ele exige relativamente poucos funcionários. Isso provavelmente não deve mudar a curto prazo, porém, pelo menos cinco tendências atuais podem representar problemas significativos na operação de um pequeno e-commerce.

 

1 – Competir em preço e frete

As lojas online geralmente competem no preço. Por exemplo, dezenas ou até mesmo centenas de lojistas podem vender produtos idênticos nas suas lojas. Todas essas lojas competem para realizar a venda sem nada que diferencie as suas lojas, exceto o preço.

Essa competição pelo preço tem prejudicado pequenos e-commerces, que por vezes não tem o poder monetário para competir com grandes lojas. Adicione a isso a pressão em oferecer frete grátis em quase todos os pedidos, a competição por preço e frete se torna um problema real para algumas lojas.

Em 2016, esse problema será maior para as pequenas empresas, pois as grandes lojas estão aumentando as suas facilidades de envio. Some isso o fato de que os consumidores esperam cada vez mais que as entregas sejam rápidas e o frete grátis, além do menor preço.

 

2 – Competir contra os fabricantes

Muitos e-commerces compram produtos por atacado diretamente com o fabricante ou distribuidor. Esse é o modelo clássico de negócio para muitas lojas.

Infelizmente, a facilidade de entrar no mundo do e-commerce encorajou muitos fabricantes a começar a vender diretamente para o consumidor final. Isso significa que a mesma empresa que te vende um produto pode ser a sua competição.

A tendência é que em 2016 mais fabricantes comecem a vender pelo e-commerce. Para combater essa mudança, as pequenas empresas devem buscar por produtos ou marcas exclusivas para venda.

 

3 – Vender nas redes sociais

As mídias sociais são apresentadas como uma ferramenta poderosa para o marketing. Por enquanto ela ainda não atingiu o seu potencial, mas isso poderá mudar em 2016.

As redes sociais são importantes para gerar visitas e como uma alternativa para pesquisa. Algumas pesquisas dizem que o Facebook e o Pinterest são as melhores fontes para gerar tráfego no e-commerce. Algumas evidências apontam que os clientes utilizam essas redes para procurar por produtos. Some isso ao botão de comprar que algumas redes possuem e elas representarão grandes oportunidades de venda em 2016.

O problema para pequenas empresas é que isso adiciona mais um canal para ser gerenciado. Se as vendas através das redes sociais se tornarem um canal representativo no e-commerce, as pequenas empresas terão que aprender como gerenciar e competir nessa plataforma.

 

4 – Lealdade do consumidor

A lealdade do consumidor pode ser a área mais importante a ser focada no e-commerce para os próximos anos. É mais rentável vender para clientes fidelizados do que buscar novos clientes constantemente.

A lealdade do consumidor é algo muito difícil de se conseguir. mas incrivelmente fácil de se perder. As pequenas empresas raramente tem recursos disponíveis para investir em marketing contra as grandes empresas. O pequeno e-commerce terá que tomar medidas extraordinárias para manter esses clientes.

 

5 – Criar conteúdo

Marketing de conteúdo é mais do que uma tendência, está se tornando uma importante tática tanto para gerar novos clientes quanto para engajar clientes fidelizados. Os melhores profissionais de marketing de conteúdo no e-commerce estão criando vídeos, artigos sobre tendências e posts que oferecem utilidades reais.

Grandes lojas possuem equipes inteiras dedicadas a criação de conteúdo. Pode ser um problema para pequenas lojas competirem, mas ainda há esperança. Até mesmo a menor das lojas pode aprender como produzir um conteúdo que atraia clientes.

 

Fonte: Practical Ecommerce

You may also like...