4 dicas: como o Google define o que é qualidade

Um dos elementos mais frustrantes quando falamos de otimização para mecanismos de buscas é a tentativa de definir o que é qualidade de acordo com o Google.

4 dicas: como o Google define o que é qualidade

A maioria das pessoas acredita que o seu site já possui um conteúdo de qualidade, afinal eles investiram tempo e dinheiro na sua criação e manutenção. Sendo assim, pode ser confuso e até ofensivo sugerir que o seu site precisa melhorar ainda mais para alcançar uma posição melhor no ranking de busca.

Felizmente, agora nós temos uma definição do que é qualidade vinda do próprio Google. Em um post no blog da gigante das buscas, a empresa listou 20 questões que determinam o que é qualidade, tudo isso dividido em quatro áreas:

  • Conteúdo e qualidade
  • Expertise
  • Apresentação e produção
  • Comparação

Nesse post vamos fazer um compilado dos principais pontos levantados por essas questões. Portanto, queremos sugerir que você leia esse texto imaginando que você é um comprador que nunca esteve no seu site ou e-commerce e nunca tenha ouvido falar da sua marca antes.

Sendo assim, você consegue responder a essas perguntas de forma positiva?

Conteúdo e qualidade

A primeira categoria refere-se a qualidade do seu conteúdo. O Google fornece uma posição alta para sites que possuem conteúdos completos sobre um assunto, incluindo pontos de vistas diferentes e pesquisas originais. É preciso ter um conteúdo que vá “além do obvio” e não repita o que todo mundo está escrevendo.

O título também é importante. Assim como uma introdução bem feita e um conteúdo rico em palavras-chave, o título também afeta a visão de qualidade do Google. Aqui, vale pontuar que títulos chocantes ou click-baits são indicadores de baixa qualidade aos olhos do Google.

Desse tópico, algumas das perguntas mais instigantes do Google são:

  • O conteúdo oferece uma explicação completa, substancial ou abrangente do tópico abordado?
  • O título oferece um resumo útil do conteúdo?
  • Você acha que esse conteúdo tem potencial para ser indicado ou sair em uma revista ou outro tipo de publicação?

Expertise

Uma fato: o Google sempre enfatizou a autoridade.

Desde o início o algoritmo de ranking de páginas do Google mede a quantidade de links em outros sites. Nesse algoritmo, os links de entrada conferem autoridade com base no tópico e na qualidade dos sites linkados. A famosa estratégia de link building.

Mas o conteúdo e o autor do site também contam no impacto de autoridade, pois, além do algoritmo, o Google também emprega humanos para avaliar individualmente alguns sites.

Esses avaliadores de qualidade utilizam um guia que se baseia na sigla E.A.T., que significa Expertise, Authoritativeness, Trustworthiness, em uma tradução livre Experiência, Autoridade e Confiabilidade. Isso tudo é utilizado para estabelecer as melhores classificações nos rankings de busca.

Por exemplo, quando um site possui conteúdos longos, como artigos, guias, análises de produtos e vídeos, a expertise e a autoridade do autor se torna importante para o Google.

  • Essa pessoa tem uma reputação positiva e uma boa presença na área que atua?
  • Ela é citada em outros lugares, participa de fóruns ou, pelo menos, publica regularmente no seu site?
  • Ela possui contas em redes sociais como Twitter ou Linkedin?

Se o autor não é amplamente conhecido, abordar cada uma dessas áreas pode ajudar a desenvolver a sua marca e a dele. O autor também pode ser o fundador da empresa ou presidente, alguém da área de marketing, um redator ou outros funcionários de áreas especializadas. O segredo é escolher alguém confiável e que conheça muito bem o tópico abordado. Além disso, você também pode contar com um editor experiente.

Outro ponto fortemente ligado a autoridade é a confiança. Os consumidores precisam confiar no seu site e nos seus conteúdos. De certa forma, o Google valoriza a autoridade mais do que os consumidores, pois a maioria deles não pesquisa ou examina minuciosamente cada site.

Além disso, a sua reputação, baseada em comentários e avaliações, também impacta no ranking do Google.

Esse é um ponto importante principalmente para e-commerces, pois eles tendem a ter menos conteúdo e dependem de avaliações em outros sites. Nesses casos, não ter uma reputação pode ser um pouco melhor do que ter uma ruim, especialmente quando combinada com outros fatores que afetam o seu ranking.

Nessa área, os questionamentos principais do Google são:

  • Se você fizesse uma busca no site, ficaria com a impressão de que ele é confiável ou amplamente reconhecido como uma autoridade naquele assunto?
  • Esse conteúdo é escrito por um especialista ou entusiasta que demonstra conhecer bem o tópico abordado?
  • Você se sentiria confortável confiando neste conteúdo para questões relacionadas ao seu dinheiro ou sua vida?

Apresentação e Produção

A apresentação e a produção do seu site são grandes apostas, afinal um e-commerce profissional livre de erros gramaticais e com um bom design é essencial. Se o seu site passa uma imagem de desleixo, você não pode esperar que os consumidores e os mecanismos de busca confiem em você.

Atualmente, é necessário que seu site ou e-commerce seja otimizado para dispositivos móveis. Normalmente, os sites já possuem uma versão responsiva, mas também é possível apostar em uma versão mobile separada desde que isso não afete a experiência do usuário.

Nessa área o Google questiona algumas táticas que podem penalizar o seu site nos rankings dos algoritmos:

  • O conteúdo é terceirizado ou produzido em massa? Ele foi postado em vários sites, tirando a atenção de um único lugar?
  • O site possui artigos redundantes sobre o mesmo assunto ou com tópicos semelhantes com pequenas variações nas palavras-chave?
  • Os conteúdos possuem uma quantidade excessiva de anúncios que atrapalham a informação principal?

Comparação

Por fim, nenhuma análise de qualidade estaria completa sem uma comparação com a concorrência. Você não precisa ser perfeito para ter um boa classificação no ranking, mas precisa ser melhor do que aqueles que possuem uma boa classificação para palavras-chave que são importantes para o seu negócio.

As questões do Google sobre esse tópico são curtas:

  • O conteúdo fornece informações substanciais quando comparado a outras páginas?
  • O conteúdo atende ao interesse dos usuários ou parece ser algo criado apenas para conseguir uma boa posição nos resultados de pesquisa?

Além de utilizar essas questões do Google como uma auto-avaliação, também considere pedir para que outras pessoas, não afiliadas ao seu site ou e-commerce, façam o mesmo e te deem uma avaliação honesta do que acharam.

Assim, você poderá descobrir os seus pontos fracos e trabalhar para melhorar.

Se quiser acessar todas as questões do Google sobre esse assunto, clique aqui.

Fonte: Practical Ecommerce

You may also like...